quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Pani no sistema, alguém me desconfiguro.


"O vento as vezes muda a direção, as vezes traz poeira... outras vezes leva. Eis então tristeza e felicidade, de tudo restam cicatrizes, pequenas ou grandes. Existem algumas que mesmo o passar do tempo de vez em quando ao mechermos nela, elas voltam a doer. Tem gente que não sente, que acha que não tem nenhuma cicatriz mais, pelo simples fato de não sentir nada, gente fria. Eu não quero me tornar gente assim, mesmo que isso seja melhor que a dor. Isso pode se tornar pior, por excluir todas as possibilidades de realmente curar todas as feridas sem cicatrizes, por que gente fria, sem sentimento e dura só é gente assim, por causa das feridas lhe causadas e conquentemente por causa das cicatrizes não curadas. Eu ando tão fria, tão sem sentimento, sem pena e sem calor, não vejo motivos nem maneiras ou formas de deixar que alguém cure as feridas. To perdendo oportunidades, destruindo sentimentos, eu to viva. De repente eu não nasci pra isso mesmo, nasci pra ser livre, ser do mundo... ó céus! O que estou dizendo? ... esqueçam o que disse, a hora é agora. Eu to livre pra ser real. Cansei dessa ladáia, vo viver e foda-se o resto."

"Nenhuma verdade me machuca, nenhum motivo me corrói
Até se eu ficar só na vontade já não dói
Nenhuma doutrina me convence
Nenhuma resposta me satisfaz
Nem mesmo o tédio me surpreende mais
Mas isso já faz algum tempo" - Pitty -


Um comentário:

Nathy Rocha disse...

Aonde estão meus olhos de robô?