sexta-feira, 11 de setembro de 2009

[1, 2, 3]

- Eu queimaria vivo pra te manter aquecida.
- Obrigada, mas não sinto frio.
- Foi uma metáfora.
- Meta.. o que?
- Deixa pra lá, me passa esse bastão de câncer.
- O que?
- O cigarro, querida, o cigarro.
- Ah, isso te faz mal.
- Você também.

***
eu quero um samba pra aquecer.

algo pra beber.
eu quero você.
peça tudo que quiser.



eu quero ver você dançar.


em cima de uma faca molhada de sangue.


enfiada no meu coração.

***

ESSE BROTO MALANDRO JÁ ERA.
ABRIU A JANELA
COMPROU UMA QUIMERA
DESLIGOU A TELA
- E FUMOU UMA VELA.
ESSE BROTO CUMPRIU:
TOMOU UM BANZO NA ASSIS BRASIL...
NEM ME VIU.

MALANDRO NÃO TEM NOVELA.

ESSE BROTO JÁ ERA.

CAIU NO CACETE
DO INVISÍVEL ZÉ RUELA,
DO APRAZÍVEL MANUEL CADELA,
DO INTRIGANTE JOÃO PORTELA,
DO GRANDE MANDELA.

TÁ PENSANDO QUE PRECISO DELA?

ESPERA QUE MEU TEMPO NÃO TEM PRESSA;
ESSE BROTO, MALANDRO, JÁ ERA.

ESSE BROTO É SEMENTE
ESSE BROTO E UMA ERVA DANINHA
NÃO TEM NADA DE MOCINHA

ESSE BROTO NÃO PEGA!

ESSE BROTO É UMA PRAGA!

ESSE BROTO É PEÇA!

ESSE BROTO É UMA DRAGA!

(MALANDRO, ESSE BROTO JÁ ERA)

3 comentários:

Nathy Rocha disse...

Não querido, não te entregarei o bastão de câncer, pq isto irá te matar. Mas não apenas isso, eu tbm irei te matar em breve, é só você tomar um pouco de juízo e parar de fazer besteira. Sussegue!

Nathy Rocha disse...

Tome juízo e não morrerás.

Dinho F disse...

Mas que a musica inspiradora, isso tu não pode negar.