terça-feira, 25 de agosto de 2009

Quem sabe outro dia.

Ultimamente tenho necessitado de muitas coisas, mas principalmente de música, música que me faça ver o que eu realmente quero ver mas de ângulo diferente. A música de hoje não me proporciona isso, é aí que eu sempre me viro pras bandas dos anos 80, 90, a preferida mesmo que sempre me diz o que eu quero ouvir é Legião Urbana, pra mim nem é banda preferida, é uma religião adotada por mim. Os bons morrem jovens, o Renato era um deles.
Tenho andado pensativa, distraída, pensando na morte da bezerra, na televisão só vejo o caos, na rádio as bandas comerciais, no jornal tragédias, não vejo nada de bom, e por que isso? Como se adiantasse mostrar os contras do nosso país, nunca vai mudar, vai continuar sendo a mesma coisa de sempre, nunca vejo os prós, será que é porque eles não existem?!
Parece que o Brasil não mudou nunca, porque as letras antigas refletem os dias de hoje, a poeira se escondendo pelos cantos, os políticos corruptos no poder, gastando o nosso dinheiro com viagens e mordomias, enquanto nós precisamos de remédios, comida e educação. Infelizmente é a nossa realidade. Será que ninguém vê o caos em que vivemos? A juventude está perdida e não tem ninguém pra ajudar e sim apenas invejar, os adultos nos invejam.
O sol nasce pra todos, vamos recomeçar, fazer a diferença, ser a diferença, somos jovens temos muito tempo pela frente, ainda temos chance. Somos o futuro da nação, e o futuro já não é mais como antigamente.
Mas como sei que isso não vai acontecer, ninguém vai fazer a diferença, pelo menos por enquanto, eu prefiro pegar minha garrafa de whisky e sair pela noite. Assim eu esqueço os problemas, e faço a minha própria diferença. Vou pra praia ver a linha do horizonte, isso me distrai, e me faz viajar dos mais puros aos mais sórdidos pensamentos.
Como diz Renato: 'Consegui meu equilíbrio cortejando a insanidade, tudo está perdido mas existem possibilidades.'

Aprenda agora a fazer uma receita para a intolerância e injustiça com Legião Urbana:

'Pegue duas medidas de estupidez.
Junte trinta e quatro partes de mentira.
Coloque tudo numa forma.
Untada previamente.
Com promessas não cumpridas.
Adicione a seguir o ódio e a inveja.
Dez colheres cheias de burrice.
Mexa tudo e misture bem.
E não se esqueça antes de levar ao forno temperar.
Com essência de espirito de porco.
Duas xícaras de indiferençae um tablete e meio de preguiça.'


“O que eu tenho de melhor: minha esperança!”

5 comentários:

Dinho F disse...

Temos discurso, mas não temos ideia. Temos vontade, mas falta atitude.

Não é só o brasil que vai mal, é o seu estado que elege uma governadora ao sabor apenas da novidade; é a sua cidade que não tem uma manifestação contundente na assembléia e consegquentemente está sempre em oobras; é o seu bairro que tem índices de violência de uma guerra civil; é a sua rua que não tem asfalto; é a sua casa que teve os móveis roubados...

É você. você que não olhou para os lados quando ganhou na megasena. que estribuchou de tanto rir com as videocassetadas. que achou o máximo as peruas se estapeando na novela das oito. que torce o nariz para o mendigo na calçada do seu serviço. é... é você, sou eu, são eles... todo mundo igual em querer ser diferente.

layne disse...

minha nossa, É ISSO. eu também adoro legião urbana, as musicas arrepiam até o ultimo fio de cabelo, rs. confesso que tem umas bandas novas que também são boas, eu tambem pensava que só as do anos 80/90 que faziam alguma coisa mudar aqui dentro, mas não. vai com tudo, descobri ai :d

viva legiaão *--*

Dinho F disse...

Ah, e que fique claro: prefiro Cazuza a Renato "morrisey" Russo. "Véia" já sabe disso, 'ight?

Nada pessoal, é questão de afinidade...
=P

Bruna Willand disse...

Injustiças nesse Brasil a fora!
Temos que fazer ouvirem a nossa voz...
Porque senão...tudo será sempre a mesma coisa, e pra pior...

Michele G. Lopes disse...

Por mais que a gente fale eles não escutam....
"todos estão surdos" :S